A Falácia do “Combate à Corrupção” ou “Como mudar o Brasil de verdade”

Ela é o tema central de 98,5%* dos debates políticos, assim como 78,6%* das estatísticas são usadas e/ou inventadas para provar um ponto defendido pelo autor da pesquisa/texto/artigo. Números (reais ou não) e brincadeiras a parte, o que significa de fato ser “contra a corrupção”? Ora, acaso existe alguém “a favor”? Ou pelo menos alguém que diga isso em público…?

Combo coxinha: bandeira do Brasil, máscara do V de Vingança e pizza. Só faltou a vassourinha pra "varrer a corrupção"... ZzzzzZ

Combo coxinha: bandeira do Brasil, máscara do V de Vingança e pizza. Só faltou a vassourinha pra “varrer a corrupção”… ZzzzzZ

A luta contra a corrupção é uma bandeira tão vazia e despolitizada que não avança, simplesmente porque é política não é um fim em si mesmo. É completamente possível viver em um país sem corrupção e este país ser injusto socialmente. Óbvio que não defendo a corrupção, muito menos acho que corruptos são necessários para o avanço do país. O que quero dizer é que a bandeira contra a corrupção sempre foi usada, sob um discurso fácil e moralista, em períodos diversos da história brasileira. E a verdade é que sempre houveram corruptos e corruptores. Então, não adianta achar que o PT, o PSDB, o Darth Vader e o lado negro da força, o demônio ou quem quer que seja inventou a corrupção. Ela só existe porque existem brechas no sistema político e eleitoral brasileiro. E é sobre isso que trato nos três tópicos seguintes, sobre o que eu considero que pode mudar de verdade o Brasil.

A necessidade de uma Reforma Política

Mais que necessária, a uma Reforma no sistema político nacional é urgente porque ficou claro que acima de tudo, a crise que foi às ruas esse ano é uma crise de representação. Para além da despolitização e do conservadorismo posterior do movimento em questão, as manifestações colocaram a Reforma Política no centro do debate. Isso é bacana, pena que foi esquecido tão rápido e os próprios aliados da base governistas recuaram. É importante observar que a juventude não nega a política. Dizer que detesta política não basta para considerar uma negação do “fazer política”. Esta é uma juventude que quer participar politicamente, mas não vê como fazê-lo num sistema que é submisso ao poder econômico. Por isso, somente uma Reforma Política com participação popular pode mudar a maneira como se faz política no país, sobretudo acabando com o financiamento privado de campanha.

Acabam de criar mais dois partidos no país (o PROS, os contras e o Solidariedade). E ainda estamos acompanhando a novela da Marina com sua Caiu na rede é peixe “Rede Sustentabilidade”. Até o momento o Brasil tem 32 partidos políticos, a maioria sem uma ideologia muito clara.

Não é difícil entender porque os jovens em sua maioria criticam tanto a classe política. Política virou carreira, mas não pode ser assim. Tem que haver renovação, oxigenação – de pessoas e ideias! -, não dá pra ser conivente com a burocratização da máquina pública que só afasta seu povo de onde as batalhas se travam. É importante sim disputar uma sociedade, mas que isso seja feito com base nas ideias e nos ideais. E de maneira justa e igualitária.

Democratização da Comunicação

A comunicação e seus meios são os espaços onde podemos disputar valores na sociedade. Só isso já justifica a democratização da comunicação, mas além disso, pluralizar as vozes é uma das formas mais diretas de se fortalecer a democracia. Garantir acesso aos meios de comunicação, com o fomento a canais populares é uma ótima iniciativa para que mais pessoas possam falar para mais pessoas. Nem vou me estender mais, porque já falei disso aqui.

Reforma Agrária já!

Sim, apesar das manifestações recentes serem urbanas e possuírem demandas diretamente relacionadas ao meio urbano, a Reforma Agrária é fundamental para mudar o Brasil e garantir uma sociedade mais justa. Não é preciso apenas dizer que “se o campo não planta a cidade não come”, é urgente romper com o agronegócio, garantir políticas de incentivo à agricultura familiar e restringir o uso de agrotóxicos. Estamos a cada dia comendo mais veneno porque um “agromercado” decidiu que o lucro é mais saboroso.

É preciso ressignificar o espaço do campo. O trabalhador rural precisa ter vontade de orgulho se permanecer no campo e para isso, precisa de dignidade. Educação no campo, incentivo e acesso ao crédito. Só tomando seu próprio território é que o povo brasileiro vai deixar de estar na mão de um bando de ruralistas que impõe sua política conservadora e arcaica a este país.

No pequeno vídeo a seguir é possível entender mais sobre a questão agrária no Brasil. E entender porque o agronegócio é uma afronta a soberania nacional e dos povos indígenas, quilombolas e tradicionais.

Vamos falar de coisa boa?

Iogurteira Top Therm! Quero concluir dizendo que o combate à corrupção nào questiona o status quo, não tem como finalidade a luta por uma sociedade mais justa. Eu já disse isso lá em cima, mas quero reafirmar para que fique bem claro que toda vez que alguém reclamar que este país “não vai pra frente”, que tem “vergonha de ser brasileiro” e que está protestando “contra tudo isto que está aí” é preciso lembrar que só a política muda as coisas e para fazer política é preciso antes de dizer o que não quer, dizer a que veio.

Sejamos cada vez mais seres políticos e politizados! Que tal defender o que pode de verdade mudar a vida e a história do nosso povo?

*Dados meramente ilustrativos hehehe

**Obviamente tem muito mais coisa que pode mudar. No entanto, depois de muito refletir, considero estes pontos parte de um eixo principal de mudança.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s