O que significam as vaias à presidenta Dilma na abertura da Copa das Confederações

*Texto publicado no Facebook no dia 15/06/2013

Ainda sobre as vaias à presidenta, não sei o que é pior: os governistas reduzindo o debate à luta de classes ou os alienados se orgulhando ao dizer que agora sim o ”Brasil acordou”.

As vaias não são apenas o preço que se paga pela democracia. Até porque a democracia brasileira ainda engatinha e precisa de uma reforma política muito corajosa pra ser representativa de fato.
Essas vaias são o preço que o governo brasileiro deve pagar por ter se afastado de tudo o que acreditamos (eu acreditei) que ele faria.
O PT ainda é o partido mais popular do país, não há como negar. Mas até onde devemos defender o indefensável? Defender quem de fato mudou o Brasil, mas não disputou valores na sociedade? Até onde vai o apoio a um governo de coalizão que se deixa pautar por bancadas ruralistas e evangélicas e pela mídia?

O Blatter até tentou ajudar, tadinho (sic)

O Blatter até tentou ajudar, tadinho (sic)

Esta última aliás, nós petistas adoramos criticar, mas me digam: como podemos reclamar se foi um governo do PT que engavetou o marco regulatório das comunicações?

Já estamos em processo eleitoral e não há como retroceder.
O que me preocupa no entanto não é a disputa de projetos, porque acho que já ficou claro quem tem projeto nesse país e não é o PSDB do Aécio Neves, nem os proto-partidos que surgem a cada segundo.

O que me preocupa de fato é o que teremos que ceder para levar as eleições de 2014. E se ainda vale a pena ceder, visto o pouco que avançamos nas lutas populares nesses últimos 3 anos de Governo Dilma.

Portanto, que o futebol, que muitos ainda adoram chamar de ópio do povo, seja encarado como uma metáfora. E principalmente, que nós possamos escolher jogar do lado certo: o do povo brasileiro.

Advertisements

14 thoughts on “O que significam as vaias à presidenta Dilma na abertura da Copa das Confederações

  1. “O que me preocupa no entanto não é a disputa de projetos, porque acho que já ficou claro quem tem projeto nesse país e não é o PSDB do Aécio Neves, nem os proto-partidos que surgem a cada segundo.” ———–> tá certo, mas quem tem um projeto para o Brasil? O PT? Então seria legal eles mostrarem este projeto, já faz 11 anos que estamos esperando……….

      • São avanços naturais de um governo de continuidade dos últimos 25 anos, que acompanha mal e porcamente o que acontece no resto do mundo, o problema é o PT achar que este avanço é por causa dele, e este avanço natural é bizonho perto de tamanho potencial nacional…….não tem projeto para o Brasil (nem escrito em algum lugar nem na cabeça dos lunáticos), não tem trabalho de longo prazo……..tem balela política como é a política brasileira nos últimos 100 anos………o PT é assim, quer fazer o igual parecer diferente………

      • Bom, eu discordo. Acredito sim que nenhum outro partido teria coragem para fazer políticas importantes como as de transferência de renda ou as que popularizassem (ainda que menos do que eu gostaria) o acesso à Universidade. Não considero que seja balela política, até porque cresci no Governo FHC, que em seus 8 anos só afundou o Brasil. Tanto em estratégia da política internacional, quanto economicamente, considero avanços do Governo petista. Apesar das reformas estruturais não terem avançado, ainda considero muito o modo petista de governar.

      • Ok, tbem vi o governo FHC, e ele teve que ter muita coragem para fazer o que fez, assim como o Lula, que mesmo “sem saber” teve que ter, assim como teve o Sarney, até o Collor teve, e esta tendo a Dilma agora……..enganar 200 milhões de pessoas não é fácil, deve pesar na consciência vender um Brasil que não existe fora da televisão, acho que esta galera não consegue dormir a noite.

      • Como eu disse, sinto que hoje o Brasil é uma país melhor. E credito muito disso ao Governo do PT. Apesar das críticas que eu mesma faço, ainda prefiro o PT que qualquer outro partido. E mais do que o PT, prefiro uma Reforma Política. E é isso.

      • Eu acho a pauta pelo “Fim da Corrupção” muito superficial. Digo, quem é a favor da corrupção? Foi o PT que inventou? Não isento o PT e acho que caixa 2 ainda é corrupção, mas prefiro me preocupar com os corruptores. Por isso defendo a Reforma Política. Para que nenhum candidato, seja de qual partido for, fique refém do poder econômico.

      • Não acho, e não acho mesmo, que a Dilma, o Aécio, o Lula, o FHC, e todos os amigos deles, sejam reféns de nada nem de ninguém……são parte integrante mesmo. Reféns somos nós, deles. Acredito na democracia e no sistema presidencialista, não acredito nos políticos e seus partidos/quadrilhas. Não acredito que uma Reforma Política resolva, apesar de que não seria ruim diante deste chiqueiro, mas não acredito que ela vai ser feita nem agora nem depois. Talvez falte um pouco mais de engajamento de pessoas de bem, pq os maus estão ganhando de lavada. Para não dizer que não gosto de ninguém, hoje votaria numa chapa encabeçada pelo Gabeira com o Plínio de vice. Pensaria em me arriscar também com o Cristovão Boarque com o Suplicy de vice. Está última é bastante arriscada, a primeira me parece melhor. Dispenso os partidos deles, aquela história de ser refém.

      • Eu acho que somos todos reféns do capital, por isso os corruptores conseguem tanto espaço. Acho meio contraditório ser contra partidos e candidatos e listar alguns. Acha que seria melhor mesmo com a tal ”governabilidade” em jogo? Eu não vejo como. Só uma Reforma Política com participação popular e financiamento público de campanha fará cada voto valer igual, sem o peso do empresariado.

      • Bem, ser contraditório é viver. Viva o Duplipensar. Não é fácil achar uma agulha no palheiro, mas se procurar acha. Governabilidade? No meu Aurélio não existe esta palavra. Este termo me parece uma falsa justificativa para o absurdo que é a máxima de que “os fins justificam os meios”. Não, não justificam. Governabilidade é o famoso “se não pode com eles, junta-se a eles”. Bizonho. Governabilidade é conversa para boi dormir. Botar a culpa nos empresários, ricos ou capitalismo é tão superficial quanto o fazer com a corrupção. Usar a governabilidade como argumento é querer justificar o injustificável. Quem não deve, não teme.

      • Hahahaha é, deve ser desculpa. Coloque qualquer um pra governar o país no atual sistema político-eleitoral do Brasil e eu desafio a governar sem apoio de quem foi eleito majoritariamente por empresários, evangélicos e ruralistas rs

      • Prefiro que seja o Gabeira com o Plínio de vice, mas pode ser qualquer um que represente uma mudança real, com o apoio destas gangues aí os 25 últimos anos provaram que não vamos chegar a lugar nenhum.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s